terça-feira, 9 de abril de 2013

Feliciano, representação às avessas. Será um plano mirabolante?


Acho justo que os religiosos possam se manifestar contra a homossexualidade. Afinal, é tarefa deles indicar a conduta que considerarem correta (ênfase no indicar, não confundir com impor, exigir, forçar).
Contudo, é preciso deixar claro que os gays não precisam que a religião libere a realização do matrimônio, não precisam do reconhecimento religioso da cerimônia. O que eles precisam é de direitos, de respeito (inclusive dentro dos templos) e de igualdade. 
Estamos vivendo mais um momento histórico. As pessoas estão se posicionando e com isso transformando a visão da sociedade quanto à homossexualidade. Vejo pessoas saindo dos armários em todos os lados, inclusive os famosos. É isso que faltava. O homofobia nasce e cresce onde existe medo, onde existe o auto-preconceito. Hoje, são muitas Danielas surgindo em todos os lados. Criou-se o debate sobre o assunto, dentro e fora de casa. Afundou-se o status de anormalidade, de doença, de problema. E não para acabar com o conceito de família, como dizem uns, mas para ampliá-lo.
Diante disso tudo, eu paro para analisar o deputado Marco Feliciano. Imagino que ele como um líder religioso cristão, deve saber que o Amor foi o maior mandamento de Jesus. Que Jesus deu a vida pelas pessoas (inclusive as que o mataram) e, certamente, não mataria John Lennon com três tiros invocando a Trindade. Com certeza ela sabe que Jesus andou com os marginalizados, com as prostitutas, com os doentes e todos aqueles excluídos da época. Certamente ele sabe quem seriam os excluídos de hoje. Deve também saber que foi a intolerância religiosa que matou o Cristo. Enfim, certamente deve saber aquilo que todo mundo sabe... 
Então, penso eu, ele só pode estar fazendo um jogo ao contrário. É, isso mesmo. Ele deve ser tão bom como presidente da CDHM, que quer o fim da homofobia e está lutando para isso! Basta olharmos ao redor e vermos como ele está sendo eficiente nisso. Ele tem atuado de forma tão egocêntrica e tão contraditória, tem sido tão bom em criar e dizer coisas que o expõe ao ridículo, tem sido tão fascista, que finalmente a sociedade conseguiu enxergar o quão ridícula é a homofobia e a diferenciação de direitos. 
Vamos parar de chacotear o pobre homem. Se eu pudesse, gostaria de agradecer o deputado pelo bom trabalho. Daria um grande abraço e um beijo na boca. Só para agradá-lo, sabe como é.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

sábado, 26 de maio de 2012

Gama


Desculpe se te assusto,
Mas não me leve a mal
É que você é singular
E eu só quero ser plural

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Eterna despedida



Se você me abandonar, se nunca mais me olhar
Eu sei que vou sofrer, eu sei que vai doer
Mas o que vou te falar? O que posso fazer?
Se o que me diz, simplesmente não condiz
Eis a verdade que você nunca quis:
Que mal há, em querer ser feliz?
Sei o que vai querer, sei o que vai ser
Eu sei que vou sofrer, eu sei que vai doer
Vai às suas rosas pertencer,
Enquanto eu vejo o trigo enternecer

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Xícara

Conheci este poema no blog da Patrícia e achei fantástico. Divido com vocês, estas palavras "cheias de sabor" e criatividade. Com os devidos créditos ao Fábio Sexugui.


terça-feira, 15 de maio de 2012